Ferramentas Pessoais
Acessar

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Navegação

INFORME ANCIB

Entre o período de 11 a 13 de setembro de 2019 os coordenadores de programas de pós-graduação da Área de Avaliação "Comunicação e Informação" da CAPES, que contemplam os cursos de mestrado e doutorado em Comunicação, Ciência da Informação e Museologia, se reuniram em Brasília. O encontro teve o intuito de discutir e deliberar sobre a avaliação dos cursos de pós-graduação da área no quadriênio 2017/2020. Dentre os instrumentos de avaliação discutidos, destacaram-se Ficha de Avaliação, os procedimentos para a definição da lista Qualis Livros e o Qualis periódicos.


Os procedimentos de avaliação relacionados a Ficha de Avaliação e Qualis livros foram exaustivamente discutidos e aprovados pelos coordenadores. Por outro lado, o Qualis Periódico, que é instrumento de crucial interesse de todos os programas de pós-graduação brasileiros, não foi aprovado pelos coordenadores dos programas de pós-graduação. 

A proposta da CAPES, apresentada como provisória, mobilizou os coordenadores a discutirem, em conversas informais no âmbito de um grupo da ANCIB, os aspectos que impactavam diretamente a área. No entendimento dos coordenadores, tais alterações mereciam uma discussão e reflexão mais profunda. Diante da importância do Qualis Periódicos para a consolidação e sobrevivência dos programas de pós-graduação da área de Comunicação e Informação, em especial os de Ciência da Informação e Museologia, a ANCIB estimulou os coordenadores a debaterem e realizarem estudos sobre o assunto. 

A partir disso, vários programas chamaram seus docentes para reuniões e delas surgiram propostas que foram sintetizadas e discutidas na Reunião de Meio Termo. Durante a reunião, os coordenadores expuseram aos representantes da área os resultados das discussões realizadas previamente. Os representantes da área de Comunicação e Informação, Edson Fernando Dalmonte e Fábio Assis Pinho, atentos às preocupações sobre o Qualis apresentadas pelos coordenadores de curso, propuseram a criação de uma comissão para subsidiar discussões sobre o instrumento e seus aspectos metodológicos. A comissão constituída foi composta por coordenadores representantes das áreas de Comunicação, Ciência da Informação e Museologia. Esta, em curtíssimo prazo, apresentou na reunião algumas limitações estruturais da metodologia utilizada para classificar as revistas nos estratos Qualis. 

 

Dentre os membros da comissão, os professores da área de Ciência da Informação João Maricato (UnB) e Edgar Bisset Alvarez (UFSC) apresentaram possibilidades de aperfeiçoamento da metodologia, capazes de minimizar as distorções detectadas. Destacaram ainda que o detalhamento das limitações percebidas na proposta do Qualis está apresentado em documento que foi produzido por comissão de professores da UnB e distribuído por e-mail previamente aos coordenadores de área na CAPES e coordenadores de curso de pós-graduação da área de Comunicação e Informação.

Durante as discussões, os coordenadores de programas de pós-graduação destacaram os seguintes problemas na proposta de Qualis periódicos apresentada pela CAPES: inconsistências no modelo de regressão proposto pela CAPES; baixa correlação entre os  três indicadores bibliométricos utilizados;  diferenças expressivas (para mais ou para menos)  dos estratos em que as revistas foram classificadas quando comparado ao Qualis vigente; número baixo de revistas classificadas no estrato A1 quando comparado ao Qualis vigente; falta de clareza ou parâmetros para a distribuição das revistas entre os extratos; desvalorização de revistas de acesso aberto, dentre outros.

Dos representantes da área na CAPES, Edson Fernando Dalmonte e Fábio Assis Pinho, os coordenadores obtiveram o compromisso de receber, encaminhar e defender estudos apresentados e a serem empreendidos. Os representantes se comprometeram, ainda, a consultar a ANCIB e a COMPÓS antes de enviar a proposta final para a CAPES.  Vale destacar que a área de Comunicação e Informação, em especial da Ciência da Informação, possui bases teóricas e aplicadas voltadas para os estudos métricos da informação, notadamente aqueles direcionados para a avaliação de produção científica, incluindo periódicos especializados, e professores e pesquisadores que certamente estão disposto em contribuir com o aperfeiçoamento da metodologia proposta pela Capes para o Qualis Periódico.